Siga a Câmara Municipal nas Redes Sociais

Cidade do Vinho 2024

Cidade do Vinho 2024

O Cartaxo integra o grupo de quatro municípios que trouxe a distinção Cidade do Vinho 2024, para o Ribatejo.

  • Cartaxo, Santarém, Almeirim e Alpiarça são os quatro municípios Cidade do Vinho 2024.
  • A Cidade do Vinho 2024 une quatro municípios na concretização de cinco objetivos de desenvolvimento para o setor – desenvolver do cluster do vinho e da economia local, fortalecer o enoturismo enquanto produto âncora, consolidar a marca Ribatejo, reforçar o posicionamento estratégico da região, reforçar a cooperação e o trabalho em rede, dinamizar a cultura e o património.

 

A apresentação pública do Programa de ações e eventos que vão decorrer no território dos quatro concelhos foi apresentado, no dia 4 de novembro, no Salão Nobre da Casa do Campino, no âmbito do Festival Nacional de Gastronomia.

João Ferreira Heitor, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo esteve ao lado de Ricardo Gonçalves, de Pedro Ribeiro e de Sónia Sanfona, presidentes das Câmara Municipais de Santarém, Almeirim e Alpiarça, respetivamente, na cerimónia que contou com a presença de mais de cinquenta instituições e empresas que atuam no setor do enoturismo e da produção vitivinícola e que os municípios querem ter como parceiros ao longo de 2024, criando trabalho colaborativo na região, cujos resultados vão muito além das ações concretas do próximo ano.

O programa é supramunicipal. Cada município vai organizar um conjunto de iniciativas que pretendem criar sinergias que beneficiem o setor vitivinícola e enoturístico de modo global, em todo o território, projetando as suas potencialidades nacional e internacionalmente.

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, João Ferreira Heitor, destacou a importância da criação de novos processos de trabalho em rede que o programa conjunto já está a permitir. "Precisamos alavancar um dos nossos produtos estrela e garantir que ser Cidade do Vinho 2024 vai valorizar o setor de forma muito concreta, com ganhos económicos reais para a economia local e regional".

Para o autarca, o facto da candidatura apresentada em conjunto pelos quatro municípios ter sido a escolhida pela AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho, “mostra a importância de nos apresentarmos com um programa de ação que valoriza a identidade de cada território, mas que assegura dimensão e cria oportunidades de maior influência quer nacional, quer internacional para a projeção da marca Ribatejo e da região vitivinícola Tejo. O que trará benefícios concretos a todos os agentes económicos que, em todo o território, operam no setor”.

Maria João Oliveira, vereadora responsável pelo pelouro da Cultura no concelho do Cartaxo, apresentou as 25 iniciativas que o município vai organizar e promover e que terão no Museu Rural e do Vinho, um dos espaços em destaque.

Rotas no território, tertúlias e seminários que sejam espaços de encontro e conhecimento da capacidade e empresas instaladas, mas também de reflexão e criação de parcerias entre produtores e operadores turísticos; provas de vinhos e espaços de harmonização com a gastronomia regional, que promovam os vinhos da região a par da oferta turística da restauração, ou a ligação a públicos mais jovens em iniciativas ligadas à ciência e investigação, com o intuito de criar interesse num setor que oferece inúmeras oportunidades quer empresariais, quer profissionais, permitindo a fixação de pessoas qualificadas no território, mas também com a preocupação de promover o consumo moderado e responsável, integram o programa apresentado pela autarca, que arranca logo no primeiro mês do ano.

Oito casas agrícolas e produtores vitivinícolas do concelho integram a Cidade do Vinho 2024, Adega do Cartaxo, Casal do Conde, Dois Carvalhos, ODE Winery, Pitada Verde, Quinta dos Filipes, Quinta do Sampayo, Vinhos Lambéria’s e Vinhos Franco.

A Cidade do Vinho 2024 une quatro municípios na concretização de cinco objetivos de desenvolvimento para o setor:

  • Desenvolver do Cluster do Vinho e da Economia Local, contribuindo para fortalecer as atividades ligadas à vinha e ao vinho – da produção vitivinícola à investigação e ao turismo, promovendo a qualificação e valorização de um setor que gera emprego e investimento.
  • Fortalecer o Enoturismo enquanto produto âncora, aumentando o fluxo de visitantes; reduzindo a sazonalidade; contribuindo para a qualificação das adegas e dos produtores e valorizando o mundo rural.
  • Consolidar a marca Ribatejo, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo Ribatejo.
  • Reforçar o posicionamento estratégico da região. Contribuindo para afirmar o território nacional e internacionalmente. Uma região com muitos ativos, a menos de uma hora de Lisboa, excelentes acessibilidades, oferta diversificada de património cultural e natural: frente ribeirinha, campo, lezíria.
  • Reforçar a cooperação e o trabalho em rede: networking dos quatro municípios; dos produtores parceiros; do envolvimento esperado por parte de empresas de animação turística, alojamento e restauração.
  • Dinamizar a cultura e o património, apostando em iniciativas com grande sustentação nos valores culturais, tradicionais e de salvaguarda do património histórico e natural.

 


Voltar ao topo