VOCÊ ESTÁ AQUI: INÍCIO / Ser / Festas e Feiras Tradicionais / Feira dos Santos

Feira de Todos os Santos


Por ocasião do dia 1 de novembro, a cidade do Cartaxo recebe a Feira de Todos os  Santos ​– uma das feiras tradicionais mais antigas do país.

Em 2018, a Feira de Todos os Santos decorre de 31 de outubro a 4 de novembro.
 
Os frutos secos, os produtos da época, o artesanato, a água-pé, os vinhos, a gastronomia e a animação atraem todos os anos milhares de visitantes a este certame, que mais do que a oportunidade de aquisição e de apresentação de produtos, é a afirmação de um evento com fortes raízes populares, que une todo o concelho.
 

A ExpoCartaxo é um certame que se realiza paralelamente a esta feira, desde 1998. Uma grande diversidade de agentes económicos do concelho, entre os quais, produtores de vinho, apresentam e promovem os seus produtos num certame que tem vindo a crescer de ano para ano, tanto em dimensão como em qualidade.


RESENHA HISTÓRICA

A primeira Feira dos Santos de que há registo no Cartaxo terá nascido no século XVII, na Quinta do Senhor Jesus – então Quinta do Moinho da Fonte, célebre pelos milagres do Santo Cristo –, situada próximo do cemitério. A feira era inicialmente instituída no terceiro domingo de agosto, passando mais tarde a realizar-se no dia 1 de novembro.
 
Com o desenvolvimento de novos edifícios públicos afastados da Quinta do Senhor Jesus, a feira passou a realizar-se junto à Praça de Touros. A Rua do Carril, prolongando-se para a Perna de Pau, através da Rua dos Eucaliptos, tornara-se, com o advento do automobilismo, a Estrada Santarém-Lisboa que, com a consequente passagem de muitos automóveis, veio intensificar ainda mais o interesse dos feirantes por esta feira, transformando-a numa das maiores do Ribatejo.
 
Dada a sua importância no panorama regional, a Feira dos Santos era, muitas vezes, motivo de notícia na imprensa, inclusive na de âmbito nacional. Por exemplo, a 31 de outubro de 1924, o Diário de Notícias publicava o seguinte, relativamente à Feira dos Santos do Cartaxo:
 
“(À feira) concorrem milhares de forasteiros de todos os pontos do país, que daqui saem satisfeitos com a franca hospitalidade desta gente encantados com as belezas naturais da região. Os feirantes também aguardam a Feira dos Santos como a grande recompensa de outras a que concorrem e não tiveram proveitos alguns. Dura oito dias, o que equivale a dizer que são oito dias de belas transacções no comércio, em artigos industriais, cascaria, frutas, louças, quinquilharias, calçado, ourivesaria, barracas de circo, cavalinhos, etc.”. (in “O Concelho do Cartaxo: o Vinho, a Terra e o Tejo”).
 
As célebres entradas de touros eram sempre motivo de muita agitação, registando-se por vezes fugas dos bravos animais, que no seu deambular pelas ruas iam destruindo e maltratando tudo o que lhes aparecesse no caminho.
 
Antes da sua deslocalização para o atual recinto – o Campo da Feira –, a Feira dos Santos realizou-se também nas Avenidas Novas.
 
Com mais-valias diferentes de outrora, a Feira dos Santos continua a manter uma grande tradição, representando por isso um grande contributo para a valorização da identidade do concelho.
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​