VOCÊ ESTÁ AQUI: INÍCIO / Município / Provedor do Munícipe do Cartaxo

Provedor do Munícipe do Cartaxo

O Provedor do Munícipe tem por função garantir a defesa e a prossecução dos direitos e interesses legítimos dos particulares perante os órgãos e serviços municipais que integram o perímetro da administração local e ainda das demais entidades que o Município do Cartaxo integre, tenha intervenção ou por qualquer forma legal se relacione. O Provedor do Munícipe exerce a sua ação na circunscrição territorial do Município do Cartaxo.​

ATENDIMENTO

O Provedor do Munícipe atende os(as) interessados(as) duas vezes por mês - na 1.ª e na 3.ª quinta-feira de cada mês. De acordo com as solicitações, poderá o Provedor, estabelecer outros dias de atendimento.


CONTACTOS
Para envio de correspondência ou marcação de atendimento presencial

Provedor do Munícipe
Edifício Sede do Município do Cartaxo
Praça 15 de Dezembro
2070-050 Cartaxo

Informações gerais:(351) 243 700 250
Fax:(351) 243 700 268

E-mail de contacto direto com o provedor do Munícipe
provedor@cm-cartaxo.pt




NOTA BIOGRÁFICA
DR. CARLOS EUGÉNIO GALELO
 
Carlos Eugénio Galelo, nascido em 28 de março de 1952 na freguesia de Nogueira – Bragança, casado, aposentado como professor do Ensino Secundário e como Advogado; pai de dois filhos (uma rapariga e um rapaz). 
 
Após ter concluído a então designada Instrução Primária (hoje 1º Ciclo do Ensino Básico) na freguesia de Nogueira, acima mencionada, não prossegui imediatamente estudos, tal como a enorme maioria dos adolescentes e jovens, daquele tempo, da minha região. A minha primeira atividade foi a agricultura, o que me permitiu conhecer e sentir a dureza dos trabalhos agrícolas, particularmente num meio de clima agreste com uma agricultura de pura subsistência.

Já tinha 14 anos quando prossegui estudos na então designada Escola Industrial e Comercial de Bragança, atual Escola Secundária Abade de Baçal, integrada no agrupamento de Escolas com este mesmo nome. Aqui concluí o Curso Comercial com média final de 15 valores e efetuei o exame final de curso então designado exame de Aptidão Profissional em que obtive a classificação de 18 valores. Frequentei ainda e concluí com aproveitamento a então designada Secção Comercial para ingresso nos Institutos Comerciais, atuais Escolas Superiores de Contabilidade e Administração.

Findo aquele Curso, comecei imediatamente a trabalhar como empregado de escritório em Bragança, numa Sociedade Comercial que era então o Agente Distrital da Fiat Portuguesa e da marca de tractores “David Brown”.

Em Janeiro de 1973 fui integrado no exército para cumprimento do Serviço Militar Obrigatório. Assentei praça no R. I. 5, nas Caldas da Rainha, como instruendo do CSM. Daqui fui transferido para o C. I. S. M I. (Centro de Instrução de Sargentos Milicianos de Infantaria) instalado em Tavira e no final do Curso, em Julho de 1973, a meu pedido, fui colocado no R. I. 13 em Vila Real, onde durante mais de um ano dei instrução a sucessivos pelotões de soldados recrutas que foram mobilizados, quase todos, para a guerra colonial. Em 30 de junho de 1975, passei à disponibilidade, regressando à vida civil.

Findo o Serviço Militar Obrigatório, ingressei na Escola do Magistério Primário de Bragança, hoje Escola Superior de Educação, no Curso de Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico que concluí, no ano lectivo de 1977-1978, com a classificação de 16 valores.

Logo no início do ano lectivo de 1978-1979, fui colocado na Ilha da Madeira, onde iniciei funções como professor do 1º Ciclo do Ensino Básico e onde permaneci apenas durante esse ano letivo.

No ano letivo seguinte fui colocado numa pequena localidade junto a Moita do Ribatejo, pertencente à freguesia de Alhos Vedros, como professor do Quadro Geral, mais tarde denominado Quadro de nomeação definitiva.

No concurso do ano seguinte já fui colocado em Arcena, junto de Alverca, cidade onde entretanto fixei residência logo após ter casado.

Por conveniência familiar, durante quatro anos letivos, lecionei na Telescola em Vialonga e entretanto matriculei-me no Curso de Direito na Universidade Clássica de Lisboa, sendo que apenas frequentei a respectiva Faculdade, com alguma regularidade no 1º ano, nos anos seguintes, fiz a generalidade dos exames como aluno auto-proposto.
Findo o Curso de Direito que concluí com média final de 12 valores e já residia no Cartaxo, concorri ao Ensino Secundário e fui colocado na Escola Secundária de Rio Maior, onde apenas estive um ano lectivo durante o qual fiz estágio na Universidade Aberta para efectivação naquele nível de Ensino.

No ano lectivo seguinte fui colocado na Escola Secundária de Azambuja onde me foi atribuído um horário maioritariamente nocturno, o que me permitiu concluir o estágio de Advogado que entretanto já iniciara com apoio de Patrono com escritório no Cartaxo.

Findo aquele estágio, passei a exercer Advocacia, em acumulação com o Ensino sempre e só na medida em que o horário desta última atividade me permitia.

Quando já pertencia ao Quadro da Escola de Azambuja, a meu pedido, fui colocado, em regime de destacamento, na Escola Secundária do Cartaxo onde lecionei durante 4 anos letivos.

Regressei de novo à Escola Secundária de Azambuja, onde para além das funções letivas que me estavam atribuídas fui membro do respetivo Conselho Geral durante 5 anos e presidi ao mesmo durante dois.

Em outubro de 2013, foi-me concedida a aposentação antecipada como professor do Ensino Secundário.

Em abril de 2017 foi-me concedida aposentação pela Caixa de Previdência dos Advogados e solicitadores e cessei funções como Advogado.​​​​​​​​​​​
​​​​