VOCÊ ESTÁ AQUI: INÍCIO / informação / Notícias / Taxo e Taberna do Gaio conquistaram certificação

Taxo e Taberna do Gaio conquistaram certificação

Os dois restaurantes do concelho conquistaram certificação da Entidade Regional de Turismo e vão estar no Guia de Restaurantes Certificados do Ribatejo

Os dois restaurantes do Cartaxo foram certificados pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo em duas categorias – o Taxo na categoria Restaurante Contemporâneo e a Taberna do Gaio na categoria Restaurante Familiar.
Pedro Magalhães Ribeiro recebeu António Ceia da Silva que esteve no Cartaxo para entregar aos dois restaurantes os diplomas que os distinguem e lhes garantem lugar no Guia de Restaurantes Certificados do Ribatejo.
O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo destacou “o rigor e a exigência técnica da auditoria conduzida pela Entidade de Turismo para a atribuição desta certificação”. 
Para o autarca “estes restaurantes são dois embaixadores da nossa excelente gastronomia e dos nossos extraordinários vinhos. Com esta certificação, vêm reconhecido o enorme esforço que as suas equipas de trabalho desenvolvem diariamente. Que este resultado seja inspi​rador para todos os que promovem a excelência do nosso território”.

 
​​
 
António Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERT Alentejo e Ribatejo) trouxe ao Cartaxo, no dia 4 de outubro, dois diplomas que certificam dois restaurantes – o Taxo e a Taberna do Gaio. Resultado do processo de certificação iniciado no ano passado pela ERT Alentejo e Ribatejo, os diplomas distinguem os dois restaurantes em duas classificações diferentes – o Taxo na categoria Restaurante Contemporâneo e a Adega do Gaio, na categoria Restaurante Familiar.

Luís Espírito Santo, proprietário do restaurante Taxo, recebeu de António Ceia da Silva e de Pedro Magalhães Ribeiro, o diploma que o certifica como cumpridor do Referencial para a Restauração Ribatejana, referindo a importância de ver reconhecido “o esforço de trabalhar com qualidade, de receber bem quem nos visita, de divulgar a nossa gastronomia e os nossos vinhos, a par de contribuirmos, enquanto empresa, para a promoção social e cultural da comunidade onde nos inserimos”.

O Taxo, estabeleceu com o Município “uma relação de trabalho que tem sido muito positiva”, afirmou Pedro Magalhães Ribeiro que destacou “a importância deste Diploma para quem aposta na boa gastronomia e na qualidade do serviço prestado a quem nos visita”. O facto de “estarem dispostos a abrir as suas portas para serem auditados, é também um ato de abertura à inovação”, que lhes permite “passar a ostentar uma certificação que assegura aos seus clientes o rigor e a qualidade do seu trabalho, mas também constitui incentivo para que essa qualidade se mantenha e seja aprofundada”.

A importância da restauração na criação de uma oferta turística estruturada “é uma preocupação da Entidade de Turismo, a que temos vindo a dar corpo”, referiu António Ceia da Silva, para quem o Diploma de Certificação é a face visível de um trabalho que visa “reconhecer o mérito a quem se diferencia pela qualidade, quer no atendimento, quer nos produtos selecionados, quer no rigor da execução, quer ainda na preocupação de integrar na sua oferta características gastronómicas e enológicas diferenciadoras”.

Na Taberna do Gaio, foram duas gerações da família proprietária do restaurante e a equipa de cozinheiras, quem recebeu o Diploma de Certificação das mãos de António Ceia da Silva que reconheceu ao restaurante “o seu papel enquanto embaixador do território”, destacando o mérito reconhecido pela certificação e “que vos assegura presença no Guia de Restaurantes Certificados do Ribatejo”. A ERT espera para “este guia, sucesso idêntico ao do Guia de Restaurantes do Alentejo que já foi reeditado diversas vezes e cuja versão em francês já vai para a terceira edição”.

Mário Cabral Silva, empresário e proprietário do restaurante, deu nota do “esforço da nossa família, para mantermos a qualidade todos os dias”, destacando o trabalho “de equipa que é necessário, o gosto que todos temos em receber bem e em oferecer a nossa gastronomia e os nossos vinhos, que são de grande qualidade, a todos os que nos visitam”.

Pedro Magalhães Ribeiro reconheceu na Taberna do Gaio “um projeto familiar que traz ao Cartaxo muitos visitantes que sabem a qualidade que encontram neste espaço. É um restaurante que honra as nossas tradições gastronómicas e promove os nossos vinhos. Ser certificado é um selo que mostra, a todos, o nível do vosso trabalho na promoção do nosso território”.

Cartaxo participa na promoção integrada do território
António Ceia da Silva deu ainda nota aos empresários de restauração, agora certificados, que o Cartaxo integra “os projetos de promoção turística que estão a ser trabalhados para o Ribatejo”, e nos quais o Guia de Restaurantes Certificados, é uma “peça muito importante”.

O presidente da ERT Alentejo e Ribatejo referiu entre os produtos turísticos que estão a ser estruturados e passarão pelo concelho do Cartaxo, os percursos pedestres – com destaque para o Caminho de Santiago recentemente reconhecido por Santiago de Compostela, que vai ter passaporte de peregrino próprio para a região –, os percursos cicláveis, com dois centros de BTT e mais de 800 Km sinalizados, ou o enoturismo “cujo Guia está em fase de finalização gráfica”.

Certificação de qualidade destaca mérito de restaurantes
Quanto ao processo de certificação atribuída aos restaurantes, resulta do protocolo estabelecido em 2017 pela ERT Alentejo e Ribatejo, Câmara Municipal de Santarém, Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo e Confraria Gastronómica do Ribatejo, que prevê a elaboração de uma carta gastronómica da região, a certificação de restaurantes e a edição de um guia dos restaurantes certificados.

Os restaurantes que se propuseram à certificação foram auditados quanto ao cumprimento do Referencial para a Restauração Ribatejana da Lezíria do Tejo. O referencial foi elaborado com a colaboração de peritos de diversas áreas e abrange apenas os restaurantes que se enquadrem na classificação de Gastronomia Ribatejana, ainda que em diferentes categorias – contemporâneo, tradicional, típico ou familiar.

As auditorias efetuadas por clientes mistério, entre outra metodologia aplicada, avaliaram os restaurantes em áreas que contribuem para o serviço final prestado – da origem e qualidade das matérias primas, aos processos de confeção, receituário, instalações públicas e áreas de confeção, passando por formação de recursos humanos, acuidade da sinalética e condições de acessibilidade. 
 
​​​​​
​​