VOCÊ ESTÁ AQUI: INÍCIO / informação / Agenda / Cinema no Centro Cultural do Cartaxo

Cinema no Centro Cultural do Cartaxo

O Centro Cultural do Cartaxo escolheu três filmes marcantes para o mês de abril – dois documentários celebram dois dias de comemorações, o 25 de Abril e o Dia Mundial da Dança, um drama musical dá conta da luta laboral numa instalação fabril.

 

6 de abril
A FÁBRICA DE NADA
Realização: Pedro Pinho
Drama, Musical 2017, 178`
M/14

Uma noite, um grupo de operários percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias-primas da sua própria fábrica. Ao decidirem organizar-se para proteger os equipamentos e impedir a deslocalização da produção, os trabalhadores são forçados - como forma de retaliação - a permanecer nos seus postos sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos. 
Prémio da Crítica Internacional - Prix FIPRESCI - Festival de Cannes 2017





20 de abril
OUTRO PAÍS
Realizador: Sérgio Tréfaut
Documentário, 1999, 70’
M/6

Em 25 de Abril de 74 um golpe militar derrubou a mais antiga ditadura ocidental sem derramar uma gota de sangue. A descoberta da democracia e o desmantelar do último império colonial europeu projetaram Portugal para o primeiro plano da atualidade internacional. 
A pesquisa para este documentário revelou milhares de fotografias e cerca de 40 filmes estrangeiros sobre a Revolução Portuguesa. Em 1999, quando se rodou Outro País, quase nada deste material tinha cópia em Portugal. A Revolução Portuguesa (1974-75) vista através dos olhares de alguns dos mais importantes fotógrafos e cineastas que testemunharam o evento. 
Golden Gate Award San Francisco Film Festival



27 de abril
NO ESCURO DO CINEMA DESCALÇO OS SAPATOS
Realização: Cláudia Varejão
Documentário, 2016, 104’
M/6


A realizadora Cláudia Varejão e a sua assistente de som Adriana Bolito acompanharam a CNB durante doze meses, recolhendo as imagens que fazem parte do documentário que agora se apresenta. Agachadas, invisíveis num canto escuro do palco, dos estúdios ou dos camarins, de certeza que nos apanharam a todos descalços, fosse no nosso quotidiano simples e rotineiro dos ensaios ou no mais emocional e frágil dos espetáculos. Dançar, mais do que uma profissão, é um modo de vida e o título do filme, um poema de Adília Lopes, gentilmente cedido pela autora, remete-nos para a vulnerabilidade dessas vidas. Será destas imagens, guiadas por artistas e por todos que trabalham com a CNB que, seguramente, também rezará a história das quase quatro décadas da Companhia.

«A Companhia Nacional de Bailado está prestes a comemorar quatro décadas de existência. Na sua génese está a interpretação dos grandes clássicos e o acolhimento permanente de criações contemporâneas. O quotidiano é rigoroso para bailarinos, coreógrafos, músicos, ensaiadores, costureiras, técnicos de luz, som e toda uma vasta equipa que permite que a dança percorra as salas de ensaio e se alongue pelos corredores até chegar ao palco. Este filme acompanha por um lado as criações, estreias e digressões da companhia de dança mais antiga do país e por outro, o trabalho silencioso e estrutural de cada bailarino.» Cláudia Varejão, abril 2015.
Filme que assinala os 40 Anos da Companhia Nacional de Bailado



Bilhetes – 3 euros
Informações: (+351) 243 701 600 ou ccultural@cm-cartaxo.pt [horário da bilheteira - 4.ª e 5.ª feira das 15h00 às 20h00, 6.ª e sábado das 15h00 às 22h00. Em caso de eventos agendados ao domingo, a bilheteira funciona das 15h00 às 19h00]
​​​​​​​​